O único caminho para o futuro de uma Democracia socialmente estável é manter e reforçar a convergência das esquerdas
Manuel Alegre
InícioManuel AlegreNotíciasAgendaOpiniãoPresidenciais 2011LinksPesquisa
YouTube Twitter FaceBook Flickr RSS Feeds
> Discurso Directo
> Discurso Indirecto
*
Crónica de Beja Santos
Manuel Alegre e os poemas de guerra
03-01-2010 Beja Santos, Gazeta das Caldas

"Devem-se a Manuel Alegre os melhores poemas que até hoje se publicaram sobre a guerra de África" escreve Beja Santos em crónica intitulada "Gazeta das Caldas" e publicada no dia de Natal.
Veja a crónica no final da notícia.

A propósito da antologia de poemas de guerra "Nambuangongo meu amor", de 2008, Beja Santos diz que os poemas de Manuel Alegre "são património da literatura portuguesa, eloquente testemunho político, livro de cabeceira dos combatentes. Daí a sua universalidade".

"Alegre gravou no verbo o que guardamos no coração", diz ainda Beja Santos, que conclui:"Não é por acaso que ele é um poeta formidável e destemido."

Documentos
Documento em formato application/pdf "Manuel Alegre e os poemas da guerra"219 Kb