"Entre o agora e o nunca / lá onde só se chega não chegando / um pouco antes talvez depois / quando."
Manuel Alegre
InícioManuel AlegreNotíciasAgendaOpiniãoPresidenciais 2011LinksPesquisa
YouTube Twitter FaceBook Flickr RSS Feeds
> Discurso Directo
> Discurso Indirecto
1 / 4
1 2 3 4
Manuel Alegre ao DN:
25-04-2020

"Nunca esperei viver isto. Fiz a guerra, estive preso e dez anos no exílio, foi muito duro, mas era a minha luta. Tinha 20 e tal anos e muita vida à minha frente." Este é o desabafo de Manuel Alegre perante a hipótese de que os mais velhos devem manter-se em quarentena até novembro: "Há uma grande preocupação em proteger os mais idosos, mas não aceito que essa proteção signifique prender-me em casa. Já não tenho tempo para isso, nem eu nem muitos outros. Interessa-me a vida enquanto puder vivê-la como ela é. Quero ver crescer os meus netos e sabemos tomar as precauções, até autoconfinar, mas o confinamento obrigatório além de certos limites equivale a uma prisão, é inconstitucional e um atentado à liberdade." Ler mais

*
Manuel Alegre em entrevista ao Observador:
17-04-2020

Em entrevista ao programa "Vichyssoise" do Observador, Manuel Alegre fala da pandemia e da incerteza deste combate. Sobre o futuro confessa: “Eu ainda não vi ninguém, pelo menos nestas reuniões com os académicos e os economistas, com uma visão diferente. Pensa-se como se tudo fosse ser igual, acho que não vai ser igual.”
Oiça a entrevista AQUI, a partir do minuto 21.20 Ler mais

*
Manuel Alegre sobre Vasco Pulido Valente:
Entrevista telefónica à TVI 24
21-02-2020

A minha primeira reacção é sentir que Vasco Pulido Valente é uma pessoa que faz falta. Nós somos mais ou menos da mesma geração, embora eu seja mais velho, ainda participámos no movimento estudantil dos anos 60. Nunca fomos amigos, nunca estivemos do mesmo lado, a não ser do lado da liberdade. Discordámos a maior parte das vezes. Ultimamente concordávamos mais. Agora tenho que reconhecer que ele foi porventura o mais talentoso de todos os nossos cronistas políticos. Era um homem lúcido, incómodo, por vezes corrosivo, cuja lucidez e cuja escrita, e ele escrevia muito bem, fazem falta. Fazem falta à nossa vida cívica e fazem falta à nossa cultura. E eu, que quase sempre estive em desacordo com ele, tenho saudades do Vasco Pulido Valente. Ler mais

*
Manuel Alegre ao DN:
Entrevista de João Céu e Silva
20-04-2019

Manuel Alegre foi um dos muitos portugueses que acompanharam em direto o incêndio que devastou parte da Notre-Dame de Paris. Considera que o mundo assistiu emocionado às chamas da destruição, os franceses em primeiro lugar e, de seguida, os europeus, devido à ligação com a monumentalidade e o significado da catedral: "Emocionou-me, tal como a muitos portugueses que estiveram exilados em Paris, pois lembro-me de me sentar junto ao rio Sena, perto de uma livraria, e olhar para Notre-Dame. É uma imagem que fica para sempre na memória de uma pessoa." "A catedral parisiense faz parte do nosso imaginário", diz em entrevista ao DN, "contém uma enorme história" e "é um símbolo da França e da Europa, católico e ao mesmo tempo laico, pois pertence a todos." Alegre citou Jaime Gama para concluir que "a França é um laboratório da Europa e o modo como se resolverem as coisas no país indicará em muito o futuro do continente. Se a opção europeísta da França derrapar, ou a extrema-direita tomar conta do país, a Europa está definitivamente em perigo." Ler mais

Foto de Diana Quintela
Foto de Diana Quintela
Manuel Alegre em entrevista à TSF e DN:
Entrevista de Catarina Carvalho (DN) e Arsénio Reis (TSF)
18-11-2018

Manuel Alegre regressa às polémicas para defender o IVA mais baixo nas touradas, que, diz, é o preâmbulo para outras proibições que atentam contra a liberdade. Acha que que o PS devia afirmar-se mais e não ter medo nem do PAN nem fazer favores à esquerda urbana. Ler mais

*
Em entrevista ao DN
19-05-2018

A uma semana do Congresso do PS, Manuel Alegre, em entrevista ao DN, reafirma a necessidade de “mais ambição” na geringonça, da defesa do SNS, cujo “problema número um é o do acesso”, pois “há muitas pessoas que esperam muito tempo e não têm dinheiro para ir aos privados. E dessa maneira o SNS fica um serviço para pobres. É o contrário do que quisemos.” Preocupado com os recentes incidentes no Sporting, que considera “um sintoma” do que chama de “populismo inorgânico ou larvar”, que “é sempre perigoso” e “tem de ser visto por todo o poder politico”, Manuel Alegre revela que irá ao Congresso do PS se for convidado, e que não deixará de lá fazer a defesa do SNS, da decência e da transparência da política, mas não falará de pessoas. Ler mais

*
Entrevista de Manuel Alegre à Antena 1
09-02-2018

Em entrevista à Antena 1, Manuel Alegre defende que é preciso “combater esse populismo inorgânico das redes sociais e de alguns sectores da comunicação social e do Ministério Público”. Criticando "um certo desleixo do Estado" e a sua "captura por interesses particulares", Manuel Alegre exemplificou com as descargas poluentes no Tejo e afirmou que "entre o Tejo e a Celtejo, tem de se escolher o Tejo, não pode haver complacência e tem havido. Se não houvesse eles não faziam aquilo que estão a fazer”.
Oiça a entrevista na íntegra AQUI Ler mais

Almoço com Manuel Alegre
26-08-2017

Almoço com Manuel Alegre, poeta e histórico do PS, que fala sobre Portugal e África, o tempo que passou em Argel exilado, Trump e o Brexit e ainda a aliança das esquerdas no Parlamento português. Ler mais

*
Manuel Alegre na morte de Mário Soares:
Entrevista de António José Teixeira para a RTP
08-01-2017

É um luto – para a família, para o país e para mim. Mas também um momento de algumas tentações revisionistas sobre a biografia de Mário Soares. É preciso falar da vida toda dele. Mário Soares começou por ser um opositor ao regime de Salazar, primeiro como militante do PCP, de que saiu; mas depois, a certa altura, teve a visão de que era necessário um partido socialista que juntasse os socialistas e pessoas de diferentes percursos e que isso era indispensável para ter o apoio da Internacional Socialista e dos países democráticos. A grande força de resistência era o Partido Comunista, os movimentos faziam-se em aliança ou semi-aliança com o Partido Comunista, e ele achava que era preciso uma força que se identificasse com os partidos da IS e tranquilizasse os partidos democráticos. Essa é a primeira grande visão de Mário Soares.
Veja a primeira parte da entrevista em AQUI

Ler mais
*
No dia 1º de Dezembro, na RTP3
02-12-2016

Entrevistado pela RTP3 no dia 1º de Dezembro, Manuel Alegre afirmou que “é mal conhecida a história do 1º de dezembro” e da “resistência do povo de Lisboa à dominação filipina” e evocou a figura de António, Prior do Crato, o último príncipe de Aviz e grande herói nacional, também ele hoje mal conhecido. Ler mais

Manuel Alegre no rescaldo das eleições:
Entrevista de João Pedro Henriques
06-10-2015

"É tempo de abrir um novo ciclo e tentar construir convergências para uma alternativa política" afirmou Manuel Alegre em entrevista ao DN, dois dias depois das eleições. Consciente de que isso "não se faz de um dia para o outro", Alegre sublinha: "Há um novo quadro parlamentar. A direita já não pode governar como governou." E aconselha a todas as esquerdas "uma grande humildade e capacidade para ultrapassar os traumas do passado", pois "a divisão das esquerdas é a força da direita." Ler mais

Manuel Alegre recebeu a equipa do DN em sua casa, de Lisboa. O escritório está forrado de livros, acumulados ao longo de décadas
Manuel Alegre recebeu a equipa do DN em sua casa, de Lisboa. O escritório está forrado de livros, acumulados ao longo de décadas
Manuel Alegre ao DN:
Entevista conduzida por João Pedro Heniques, foto de Leonardo Negrão
01-11-2014

Sem meias palavras, Manuel Alegre recorda ao vencedor das primárias que “tem um grande peso sobre os ombros”: fazer o “milagre” de “restituir aos portugueses a alegria de viver”. O histórico socialista não lhe pede um programa detalhado, antes “três ou quatro ideias-força”. Soares é o exemplo: nunca “acertou num número” mas sabia o que queria. Ler mais

Manuel Alegre na Sic Noticias:
24-10-2013

“O nosso país está desarmado, a nossa última garantia é o Tribunal Constitucional”, afirmou Manuel Alegre na Sic Noticias, em entrevista conduzida por Ana Lourenço. “Portugal ainda não chegou à situação da Hungria” que é “uma situação protofascista”, considerou. Mas “se o Presidente fosse mais interventivo, o Tribunal Constitucional não seria chamado tantas vezes a intervir”, concluiu.
Veja a entrevista AQUI Ler mais

*
Manuel Alegre em entrevista ao DN:
14-07-2013

Em extensa entrevista ao DN, Manuel Alegre classifica o último discurso de Cavaco Silva como “um discurso de dúvidas e de incertezas, que apenas está a prolongar a crise” e que transfere a responsabilidade para os partidos com duas agravantes: “exclui dois partidos” e “mete no mesmo saco o PS e os dois partidos da coligação”. O objetivo, conclui, “parece ser entalar o PS, pois se o PS aceitar um compromisso (…) chegará às eleições desgastado, como aconteceu com o Pasok, da Grécia” e “se não dialogar, será acusado pelo Presidente de virar as costas ao País”. Mas o Presidente "não é o tutor dos partidos" e “o PS não é o terceiro partido da direita”, diz Manuel Alegre, que afirma confiar na honestidade de Seguro para não voltar atrás com a palavra. Alegre considera ainda que “a grande resposta (…) a esta situação era haver uma solução protagonizada pelos três partidos da esquerda”, mas “as suas direções não estão à altura desta responsabilidade histórica, e é pena”, porque, conclui, “era a resposta que esta direita portuguesa estava a precisar – um grande susto com os três partidos da esquerda a entenderem-se.” Ler mais

Manuel Alegre ao DN:
14-07-2013

Citações de Manuel Alegre em entrevista ao DN:

“Desde Maastricht que há a capitulação dos partidos socialistas. Consagrou-se o triunfo do neo-liberalismo, que pôs em causa a Europa como tinha sido concebida”

“Há espaço para os movimentos de cidadãos e para a democracia participativa. Uma das maiores manifestações que vi foi a do 15 de Setembro”

“É preciso restabelecer o gosto pela política. Na minha geração, os jovens tinham a consciência de que não havia soluções individuais, mas colectivas”

“O Papa Francisco falou muito bem sobre a globalização da indiferença e do individualismo quando foi a Lampedusa ver os imigrantes”

Veja a entrevista na íntegra AQUI Ler mais

Manuel Alegre em entrevista a Ana Lourenço:
26-06-2013

"Estamos a viver uma espécie de estado de golpe, a Constituição não está a ser respeitada" denunciou Manuel Alegre em entrevista a Ana Lourenço. "Há muitas maneiras de violar a Constituição, e uma delas é não a respeitar", disse ainda, criticando severamente a desobediência do Governo ao Tribunal Constitucional quanto ao subsídio de férias de funcionários públicos e pensionistas e o facto de o Presidente da República ter sancionado essa desobediência, promulgando o diploma.
Veja a entrevista AQUI Ler mais

*
Manuel Alegre ao jornal i:
18-05-2013

O poeta acredita que o sonho neste momento está transformado em pesadelo. O político que é necessária uma ruptura. Tudo começa ou acaba nos sonhos. O último livro de Manuel Alegre faz deles matéria-prima de romance. “Tudo É e não É” fala-nos das ideias recorrentes que nos fazem humanos, da nossa tentativa de construirmos o sonho e fugirmos ao pesadelo. Esta entrevista mantém a mesma estrutura e aborda a literatura e a política, sempre entre o sonho e o pesadelo. Ler mais

foto de A.P. Santos para o jornal i
foto de A.P. Santos para o jornal i
Manuel Alegre ao Jornal i:
02-03-2013

Cortar com o Memorando é expressão que já começa a aparecer no discurso deste socialista. Manuel Alegre diz que os portugueses não aguentam tudo e que o país está perto do limite. Limite para quê? Até para uma revolução, se os governantes não revirem posições. Em conversa com o i, o socialista fala de tudo, até da reconciliação com Mário Soares. Defende António José Seguro no PS, mas alerta para a necessidade de uma união à esquerda. Nas vésperas da manifestação, o poeta avisa que o povo não é assim tão brando e que o governo está “esgotado”. Ler mais

Manuel Alegre à SIC Notícias:
28-02-2013

"Isto não é tolerável, está tudo ao contrário", exclamou Manuel Alegre na entrevista à SIC Notícias, dizendo logo de entrada: "Estou farto da troika, nasci numa ditadura, agora temos uma ditadura dos credores". Para Manuel Alegre "a austeridade está a matar a democracia e o projecto europeu" e "Portugal tem de ter um plano B", "precisa de aliados" e deve reaproximar-se da Inglaterra, contra o "predomínio da Alemanha, pela terceira vez".
Veja a entrevista na íntegra em baixo

Ler mais

1 / 4
1 2 3 4