Espero merecer a honra que me concederam e continuar a rimar o meu poema com a minha vida.
Manuel Alegre
InícioManuel AlegreNotíciasAgendaOpiniãoPresidenciais 2011LinksPesquisa
YouTube Twitter FaceBook Flickr RSS Feeds
> Discurso Directo
> Discurso Indirecto
*
Entrevistado no programa "Canções de Guerra"
Manuel Alegre e a guerra
18-12-2015 Entrevista de António Luís Marinho, RTP on demand

Manuel Alegre falou da guerra – “uma experiência muito intensa, única, irrepetível” – no último episódio do programa “Canções da guerra”, de António Luís Marinho, na Antena 1. “A condenação política e moral da guerra não implica que não haja um sentido de fraternidade”, disse Manuel Alegre.

“A condenação política e moral da guerra não implica que não haja um sentido de fraternidade”, disse Manuel Alegre, que recordou momentos dolorosos, como o choque da morte do amigo Manuel Ortigão, a quem dedicou a “Canção com lágrimas e sol”, incluída na Praça da Canção, cantada mais tarde por Adriano Correia de Oliveira e que pode ouvir em baixo.

Particularmente intensa é a gravação do apelo lançado por Manuel Alegre, na Rádio "Voz da "Liberdade", em Argel, quando Salazar caiu da cadeira, em 1969. No final do programa, depois de Manuel Alegre ler o poema "À sombra das árvores milenares", do livro Doze Naus, ouviu-se o poema "Canção com lágrimas palavras armas", musicado e cantado por Joana Alegre, filha do poeta.

Oiça a conversa com Manuel Alegre e as canções recordadas AQUI

Áudio
"Canção com lágrimas e sol"