"É preciso subverter o discurso cinzento e tecnocrático e recuperar a força primordial da palavra"
Manuel Alegre
InícioManuel AlegreNotíciasAgendaOpiniãoPresidenciais 2011LinksPesquisa
YouTube Twitter FaceBook Flickr RSS Feeds
> Notícias
*
Alegre ataca Amado e pede "separação de águas" no PS
01-09-2012 João Pedro Henriques, DN on-line

Manuel Alegre não gostou do que o ex-MNE do PS Luís Amado disse ontem na Universidade de Verão da JSD, defendendo "compromissos" entre o Governo e os socialistas. "Contrariamente ao que Luís Amado disse, a questão da RTP é uma questão gravíssima, uma linha vermelha à qual o PS se deve opor com todas as suas forças", afirmou hoje o histórico do PS ao DN.

Por isso acrescentou: "A situação exige uma clara separação de águas entre a política ultra liberal deste Governo e os valores que o PS deve defender. E também uma separação de águas dentro do PS entre os que defendem esses valores e os que ainda não desistiram de da Terceira Via e do compromisso com o neoliberalismo".

De acordo com o conselheiro de Estado, tem sido "essa política ambígua e capitulacionista que tem levado ao recuo dos socialistas na Europa". "É hora de outro caminho!", apelou.

No entender de Alegre, "ao contrário do que Luís Amado disse o PS não tem que fazer nenhum Bloco Central nem nenhum compromisso nacinal com o PSD". "O compromisso do PS é com os que estão a sofrer as consequênciass da política de austeridade", com "o povo e com o país que está a empobrecer".

Amado disse ontem em Castelo de Vide que a questão da RTP é "fraturante na relação entre os partidos do Governo e da oposição e o país e os partidos têm de se concentrar mais nos temas que os unem e não nos temas que os dividem". Aconselhou também o seu próprio partido a não fazer ao atual Governo o que o PSD fez ao de José Socrátes (chumbar o PEC 4 provocando uma crise política que terminou em eleições). "Eu não gostaria que o meu partido provocasse uma crise política que agravasse as condições de estabilidade necessárias para garantir ao pais o financiamento de que tem absoluta necessidade ao longo dos próximos anos."