"Sobretudo nas horas em que tudo / de repente se esvazia / e pesa mais que tudo esse vazio / ... / é precisa (mais que tudo) a poesia."
Manuel Alegre
InícioManuel AlegreNotíciasAgendaOpiniãoPresidenciais 2011LinksPesquisa
YouTube Twitter FaceBook Flickr RSS Feeds
> Notícias
*
Manuel Alegre em Sobral de Monte Agraço:
"Estamos a ser vítimas de um novo imperialismo"
17-11-2011 Lusa

Manuel Alegre defendeu ontem no Sobral de Monte Agraço que Portugal e outros países europeus estão a ser vítimas de um novo imperialismo, liderado pelos capitalismos da Alemanha e França. "Estamos a ser vítimas de um novo imperialismo", afirmou Manuel Alegre, explicando que existe "uma economia subordinada ao capital financeiro e uma democracia sequestrada pelo capital financeiro e pelos especuladores".

O socialista foi mais longe, deixando implícito que a democracia está em risco, ao considerar que é preciso "libertar a democracia", uma vez que a entrada da 'troika' em Portugal deixou o País sem autonomia, como considerou.

"Ou as democracias controlam os mercados e os especuladores ou os mercados e os especuladores acabam com a democracia", alertou.

Neste sentido, defendeu que devia haver uma "agência de 'rating' europeia e a regulação dos mercados", de modo a impedir o avanço deste "imperialismo".

Para o socialista, a política de austeridade imposta a Portugal e a outros países, como a Grécia, "não vai resolver outros problemas senão os dos bancos alemães".

Com a força do "imperialismo" alemão, Alegre alertou que "a Europa e o projecto europeu estão a ser desfeitos", por isso lançou o aviso para a social-democracia e o socialismo democrático "retomarem a ofensiva ideológica", de modo a impedir o avanço das políticas neoliberais.

Nessa estratégia, disse que devem ser tidas em conta "novas políticas que conjuguem o rigor das contas públicas com um projecto de crescimento económico".

Sobre o Orçamento de Estado para 2012, Alegre afirmou que a estratégia do Governo PSD/CDS-PP passa por "empobrecer o País, com cortes de salários e das pensões e com a distribuição injusta dos sacrifícios".

Manuel Alegre falava aos militantes durante a conferência "O que é ser de esquerda", promovida pela comissão concelhia socialista de Sobral de Monte Agraço.

Na iniciativa, subordinada ao tema “O que é ser de esquerda no século XXI?”
promovida pela JS do Sobral, participou ainda o deputado e presidente da Juventude Socialista, Pedro Delgado Alves.