"Na televisão, os comentadores de futebol substituíram grandes figuras da literatura portuguesa"
Manuel Alegre
InícioManuel AlegreNotíciasAgendaOpiniãoPresidenciais 2011LinksPesquisa
YouTube Twitter FaceBook Flickr RSS Feeds
> Notícias
Manuel Alegre na Festa do Vinho e da Vinha em Borba
Manuel Alegre na Festa do Vinho e da Vinha em Borba
*
Manuel Alegre em Borba:
É preciso serenidade e firmeza para acalmar os mercados
09-11-2010 http://manuelalegre2011.pt

Manuel Alegre defendeu hoje que é preciso “serenidade”, mas também “firmeza”, para "acalmar os mercados" sobre a dívida nacional e "garantir a autonomia da decisão nacional”, rejeitando a necessidade de entrada do FMI em Portugal. “Eu acho que nós devemos resolver por nós próprios os nossos problemas, porque isto está a ser feito para nos imporem outras soluções”, afirmou durante uma visita à Festa do Vinho e da Vinha, em Borba.

Questionado sobre o facto de os juros da dívida portuguesa a 10 anos terem hoje atingido novamente máximos históricos, no limiar dos 7 por cento, Manuel Alegre voltou a manifestar-se preocupado com a situação do país. “Eu tenho estado muito preocupado e já manifestei várias vezes e de várias formas essa preocupação”, afirmou o candidato, defendendo que “os responsáveis políticos, de uma maneira serena, mas eficaz e firme, têm de tentar acalmar os mercados e salvaguardar o interesse nacional”.

Nesta visita ao certame alentejano dedicado aos vinhos, acompanhado pelo Presidente da Câmara, Ângelo de Sá e apoiantes da sua candidatura, Manuel Alegre lembrou ainda que, nas últimas presidenciais, foi o candidato mais votado em Borba: “E espero ganhar também nestas”.

A agricultura foi outra preocupação manifestada pelo candidato presidencial que reclamou um “novo olhar” para o sector. “Temos que voltar aos campos, voltar a cultivar a terra e voltar a produzir para sermos mais autosuficientes porque, com os novos países emergentes a consumirem muito mais, a Europa tem que pensar a agricultura de outra maneira”, afirmou.

“Temos que produzir, não é subsidiar a não produção, é estimular a produção agrícola”, sublinhou ainda Manuel Alegre, reafirmando a necessidade de “redescobrir a terra”, como uma das soluções para resolver os nossos problemas.