"O funcionário que fez o meu BI quando regressei, não me perguntou a profissão, escreveu Poeta. Estou-lhe grato."
Manuel Alegre
InícioManuel AlegreNotíciasAgendaOpiniãoPresidenciais 2011LinksPesquisa
YouTube Twitter FaceBook Flickr RSS Feeds
> Notícias
Manuel Alegre após encontro com o Bispo do Porto:
“Portugal precisa de uma nova frugalidade e de refazer o tecido produtivo”
03-11-2010 com Lusa

Manuel Alegre encontrou-se hoje com o Bispo do Porto, D. Manuel Clemente, defendendo no final que Portugal precisa de “uma nova frugalidade, de outra capacidade de criação e de refazer o tecido produtivo” para combater a crise. “A minha preocupação, ultimamente, tem sido visitar instituições que estão na linha da frente da realidade e das dificuldades portuguesas”, explicou Manuel Alegre: “Visitei a Caritas, estive com as centrais sindicais e vim aqui manifestar as minhas preocupações e ouvir o conselho e a opinião de D. Manuel Clemente”, concluiu.

O candidato afirmou que ouviu do Bispo do Porto “uma palavra de esperança” em Portugal e na capacidade do povo português para enfrentar e vencer as dificuldades com que se depara. “A igreja e as instituições sociais têm um papel de capital importância na ajuda e na solidariedade às pessoas, embora isso só não chegue, mas todos em comum temos que fazer um esforço de repensar o país e de encontrar novos caminhos e novas soluções”, realçou.
Para Manuel Alegre – que sexta-feira visitou a mesquita de Odivelas – o país precisa “de novos comportamentos e de uma nova cultura, uma nova frugalidade, de outra capacidade de criação e de refazer o tecido produtivo" para combater a crise.

D. Manuel Clemente, laureado, como Manuel Alegre, com o Prémio Pessoa, falou da “criatividade da gente do Norte, da capacidade de risco da sua população, que não se agarra ao Estado, não se agarra ao poder e por si própria é capaz de se desenvencilhar”, disse o candidato, que reforçou o facto de estar “muito solidário com as duas centrais sindicais”.

Manuel Alegre afirmou ainda que tomou conhecimento das dificuldades do distrito do Porto, enumerando muita desigualdade, muita pobreza e um novo tipo de pobres. “E o que vem aí, em consequência da crise que estamos a viver e das medidas que vão ser tomadas, que provavelmente vão resultar no aumento da pobreza e das desigualdades”, alertou o candidato.
Segundo Manuel Alegre, “a esperança, como disse o Bispo do Porto, resulta do facto de Portugal já vir «de muito longe», ser «o país mais antigo» e já ter vencido outras dificuldades.