"Sobretudo nas horas em que tudo / de repente se esvazia / e pesa mais que tudo esse vazio / ... / é precisa (mais que tudo) a poesia."
Manuel Alegre
InícioManuel AlegreNotíciasAgendaOpiniãoPresidenciais 2011LinksPesquisa
YouTube Twitter FaceBook Flickr RSS Feeds
> Notícias
*
Na próxima terça-feira, dia 2 de Novembro
Manuel Alegre reúne-se com os líderes da CGTP-IN e UGT
30-10-2010 com Lusa

Manuel Alegre reúne-se terça feira com os líderes da CGTP-IN e UGT, encontros em que estará em análise a greve geral convocada pelas duas centrais sindicais para o dia 24 de novembro. Nas duas reuniões, com Carvalho da Silva e com João Proença, nas sedes das respectivas centrais sindicais, Manuel Alegre estará acompanhado pela sua mandatária nacional, Maria de Belém, e pelos seus apoiantes Paulo Sucena e Elísio Estanque.

Na carta que enviou aos líderes das suas centrais sindicais, Alegre sustenta que “a recente degradação das condições de financiamento de Portugal nos mercados internacionais, a par da apresentação do Orçamento do Estado para 2011 e da convocatória da greve geral conjunta das duas centrais sindicais para o próximo dia 24, impõe, a todos, uma reflexão sobre as opções do país num quadro de médio e longo prazo”.

“Desse quadro de análise e reflexão não podem ser excluídos o papel dos sindicatos e a eleição do próximo Presidente da República – nem a importância dessa mesma eleição”, acrescenta Manuel Alegre na sua missiva enviada a João Proença e Carvalho da Silva.

Recorde-se que em recente entrevista ao DN Manuel Alegre tinha sublinhado ser favorável à concertação social e criticado o facto de ninguém, ao longo desta crise orçamental, ter falado com os dirigentes sindicais. "Andam os banqueiros, mas ninguém fala com os sindicatos e ninguém fala com os parceiros sociais", disse então o candidato. "Deveria ouvir-se os trabalhadores, respeitar os trabalhadores e ter em conta que (esta) é uma greve geral (convocada) pelas duas principais centrais sindicais.

As reuniões pedidas por Manuel Alegre terão lugar às 11.00 com a CGTP e às 15.00 com a UGT.