Descobrir não é criar. Chegámos sempre ao que, antes de nós, já lá estava. Mas em cada chegada aconteceu uma dupla descoberta: a dos outros por nós e a de nós próprios pelos outros.
Manuel Alegre
InícioManuel AlegreNotíciasAgendaOpiniãoPresidenciais 2011LinksPesquisa
YouTube Twitter FaceBook Flickr RSS Feeds
> Notícias
*
Festival Cultural Latitude 39
Manuel Alegre na Sardenha
29-06-2018

Manuel Alegre inaugura, como convidado de honra, a 2.ª Edição do Festival Cultural Latitude 39, que tem início a 29 de junho, a partir das 21h00, na Sardenha, mais concretamente na localidade de Villasimius. A presença do poeta foi assim justificada pela organização: “É uma das personalidades mais relevantes da política e cultura europeias.”*

O Festival Latitudine 39 realiza-se a partir da próxima sexta-feira, 29 de junho, até 15 de julho, no município sardo de Villassimius, a cerca de 50 quilómetros de Cagliari, e conta ainda com as participações da pianista Silvia Belfiore e dos músicos Vanni Masala (acordeão diatónico) e Endrea Pusi (flautas tradicionais), entre outros.

A organização justifica o convite ao poeta português, por se tratar de "uma das personalidades mais relevantes da política e cultura europeias", segundo comunicado das Publicações D. Quixote.

Manuel Alegre participa na inauguração do festival numa conferência que aborda "os laços históricos que unem Portugal e a Sardenha, essenciais para o estabelecimento de uma ligação cultural entre portugueses e italianos".

O autor lerá em seguida alguns dos poemas da sua obra "Bairro Ocidental", publicada em maio de 2015 pela Dom Quixote, já traduzida para italiano e publicada em Itália.

Ainda no dia de abertura, a pianista Silvia Belfiore apresenta um programa constituído por "várias peças relacionadas com as águas do Oceano Atlântico e do mar Mediterrâneo", segundo a mesma fonte.

Manuel Alegre foi eleito, em 2005, sócio correspondente da Classe de Letras da Academia das Ciências de Lisboa.

O escritor recebeu, por parte da República Portuguesa, a Grã-Cruz da Ordem da Liberdade, em 1989, a Estrela dos Combatentes pela Liberdade, Ordem da ex-Jugoslávia, é comendador da Ordem de Ouissam Alaoui, de Marrocos, da Ordem de Isabel, a Católica, de Espanha, e Grande-Oficial da Ordem de Bernardo O'Higgins, do Chile.

O poeta foi igualmente distinguido com a Ordem do Mérito Nacional da Argélia, é Grande-Oficial da Ordem Stella Della Solidarietá Italiana, tem o 1.º Grau da Ordem de Amílcar Cabral, de Cabo Verde, e recebeu as medalhas de Mérito do Conselho da Europa, de que é Membro Honorário, da cidade de Veneza e de Pádua, em Itália, sendo cidadão honorário da segunda, e ainda as medalhas de ouro de Águeda, onde nasceu, e de Coimbra, onde estudou.

No ano passado, o escritor publicou "Auto de António", em que aborda a figura de D. António, prior do Crato, "o último Príncipe da Casa de Avis, inaugurada com D. João I, em 1383", "um herói injustiçado da História de Portugal, que sempre fascinou o autor", segundo as Publicações D. Quixote.

No dia 30 de junho, sábado, atua em Villassimius o guitarrista António Chainho, com mais de 50 anos de carreira, que convidou para este seu recital a fadista Isabel de Noronha.