"Há um descuido e uma ignorância muito grande para um povo antigo como o nosso"
Manuel Alegre
InícioManuel AlegreNotíciasAgendaOpiniãoPresidenciais 2011LinksPesquisa
YouTube Twitter FaceBook Flickr RSS Feeds
Em 22 de novembro
18-11-2017

Manuel Alegre vai receber o doutoramento "honoris causa" pela Universidade de Pádua, uma das mais antigas universidade da Europa, onde estudaram entre muitos outros os portugueses Santo António e Damião de Góis. A cerimónia decorre na Aula Magna Galileu Galilei. A outorga do título de "Laurea ad Honorem" ocorre no dia 22 de Novembro de manhã, seguindo-se à tarde e no dia seguinte o Colóquio Internacional "Manuel Alegre, Poeta da Liberdade", com a participação de destacados investigadores, académicos e estudiosos da obra de Manuel Alegre.
Veja o programa da cerimónia de doutoramento AQUI
Veja o programa do Colóquio Internacional "Manuel Alegre, Poeta da Liberdade" AQUI Ler mais

*
15-11-2017

“Manuel Alegre levantou um auto a D. António, auto não de pena e castigo, mas auto de poemas”, escreveu Borges Coelho na mensagem lida na apresentação do mais recente livro do poeta, “Auto de António – Último Príncipe de Avis”, uma edição das Publicações Dom Quixote.
Borges Coelho não pôde comparecer por razões de saúde, mas não quis deixar de enviar a sua mensagem. Certo é que, confessou Manuel Alegre, o historiador, com “Os Filipes”, V volume da História de Portugal que tem vindo a publicar, esteve na origem deste “Auto de António”, um livro “com muitas camadas”, como disse o crítico José Mário Silva, que, segundo Manuel Alegre, fala do Prior do Crato, “de todos nós e também de mim”. Ler mais

RTP3, entrevista conduzida por Ana Lourenço
13-11-2017 RTP 3
Manuel Alegre ao DN:
04-11-2017 Entrevista conduzida por João Céu e Silva, DN

É o primeiro livro de poemas que Manuel Alegre lança após ter recebido o Prémio Camões. Um conjunto de poesias em torno do prior do Crato, que considera ser um protagonista ignorado sem razão.
O intuito pedagógico existe em Auto de António - Último Príncipe de Avis, o mais recente livro de poesia de Manuel Alegre. Explica: "Quero mostrar que na pior hora da história de Portugal o povo não se submeteu (ao domínio dos Filipes), o que custou muitas mortes. Essa figura lendária de D. António, prior do Crato, é um exemplo da insubmissão que não se rende, de alguém que morre longe, em Paris, com dificuldades e de quem nem se sabe bem onde está o seu corpo."
Veja o poema "Uma Balada" que integra este livro de Manuel Alegre AQUI Ler mais

*
Dia 15, às 18.30, na Livraria Leya - Buccholz, em Lisboa
11-11-2017

O último livro de poemas de Manuel Alegre,"Auto de António - Último Príncipe de Avis", vai ser lançado esta semana, na 4ª feira, 15,na Livraria Leya - Buccholz, em Lisboa. A apresentação da obra, que segundo Manuel Alegre ao JL "não é uma biografia, é uma revisitação poética da figura de Dom António, Prior do Crato" será feita pelo historiador António Borges Coelho, seguindo-se leitura de poemas por Luís Lucas. Ler mais

*
Manuel Alegre ao Público:
04-11-2017 Margarida Gomes, Público on-line

Há 12 anos, Manuel Alegre, na qualidade de candidato à Presidência da República, apresentava-se ao país com um Contrato Presidencial no qual se pronunciava sobre um conjunto diversificado de questões que, na opinião do histórico militante do PS, se mantêm actuais. “No essencial, subscrevo tudo o que escrevi no 'Contrato Presidencial' com que me candidatei, mas hoje teria sido um pouco mais crítico apenas em relação ao funcionamento da Europa, a esta divisão entre Norte e Sul", declara o também escritor que em 1999 recebeu o Prémio Pessoa. Ler mais

Em declarações ao DN sobre a Catalunha
03-11-2017 DN on-line

"Lamento a posição do Presidente da República, a posição do Governo e o seguidismo em relação a Madrid. São posições contrárias à nossa tradição e à nossa própria História." Ler mais

Pinhal de Leiria - Foto Paulo Cunha/Lusa
Artigo de Manuel Alegre no DN
18-10-2017 Manuel Alegre, DN

Sete séculos depois ardeu o pinhal de D. Dinis, o das "naus a haver", morreu o verde pinho do rei poeta. Dá vontade de chorar e não consigo ficar calado. É um símbolo triste da falência do Estado, fruto de décadas de desleixo, de incompetência, de amiguismos múltiplos, da submissão do interesse geral a interesses instalados e da capitulação perante lógicas que não são a dos fins superiores do Estado e do país.

Ler mais
*
Nas livrarias a partir de 10 de outubro
10-10-2017

Dedicado a D. António Prior do Crato, o “último príncipe de Avis”, este é mais do que um livro de poesia de Manuel Alegre sobre esta conhecida personagem da história portuguesa. Este é um livro sobre a nossa pátria e a nossa história, um livro sobre passado e presente, onde batalhas e exílios rimam com amores e revoluções. Ler mais

*
03-11-2017 www.evasoes.pt

Manuel Alegre é o rosto retratado no mural que encima a entrada da biblioteca com o seu nome na cidade de Águeda, de onde o poeta é natural. A obra é da autoria do artista Daniel Eime. Ler mais

*
Estreou a encenação de "As naus de verde pinho" de Manuel Alegre
15-10-2017 Ana Carreira, foto de Leonardo Negrão, DN

Monstros e tempestades no palco-nau dos Descobrimentos numa adaptação do livro que Manuel Alegre escreveu à filha Joana há mais de 20 anos. À porta do Museu de Arqueologia já são muitos os jovens que se vão alinhando para subir ao Salão Nobre. Na tarde de sexta-feira, os alunos das três turmas de sexto ano do Colégio Bartolomeu Dias, em Lisboa, serão os primeiros a conhecer a adaptação do encenador Vasco Letria da obra As Naus de Verde Pinho, de Manuel Alegre, que hoje se estreia. Ler mais

*
27-09-2017 Jornal de Letras

“Este livro não é uma biografia, é uma revisitação poética da figura de Dom António, Prior do Crato. Foi escrito através de várias falas, inclusive a daqueles que nunca falaram e a do próprio autor. Ao longo do livro a figura de Dom António projecta-se em vários tempos e várias gerações e no nosso próprio tempo, sobretudo naqueles que resistiram e que tal como ele nunca se renderam”, diz Manuel Alegre a propósito do seu próximo livro de poemas, Auto de António, que chegará às livrarias a 10 de outubro, com a habitual chancela do autor, a D. Quixote. Ler mais

Arquivo 2005-2009
Discurso Indirecto
José Mário Silva escreve sobre "Auto de António Último Príncipe de Avis"
*
28-10-2017

Primeiro livro publicado por Manuel Alegre depois de ter vencido, em junho deste ano, o Prémio Camões, “Auto de António Último Príncipe de Avis” é simultaneamente uma notável homenagem à figura de D. António, Prior do Crato, e uma vindicação da sua memória. Ou melhor, uma defesa da sua importância histórica – mas sobretudo simbólica – enquanto emblema de um país que Portugal podia ter sido e não chegou a ser. Ler mais

Fernando Guimarães sobre "Auto de António" de Manuel Alegre:
*
25-10-2017

"(...) este outro poema, cujo título “Fala de um e do outro” não deixa de ser significativo, quase poderia ser interpretado como uma espécie de arte poética, a qual acaba por se estender e dar sentido a todos os outros versos deste livro: “Um poema permite mudar lugares / países tempos amores / permite até juntar pessoas / séculos /colocar um onde devia estar o outro / ou onde nenhum sequer devia estar. / Permite juntar e separar e misturar / vidas e factos e fragmentos. / Por isso eu fui a Alcântara e não perdi / e agora sou António / e estou aqui.” Ler mais

Agenda
4ª feira, 22 de novembro, na Universidade de Pádua
Aula Magna Galileu Galilei da Universidade de Pádua
22-11-2017

Realiza-se no dia 22 de Novembro, na Aula Magna 'Galileu Galilei' da Universidade de Pádua, a cerimónia de doutoramento "honoris causa" de Manuel Alegre. A cerimónia é presidida pelo Magnífico Reitor, prof. Rosario Rizzuto e inclui a leitura da lição magistral de Manuel Alegre, em português, com tradução da prof.Sandra Bagno. No final da cerimónia o laureado é saudado pela Tribuna Estudantil, que lhe imporá a borla e a coroa de louro tradicionais.
Veja o programa em baixo. Ler mais

22 e 23 de novembro, Palácio Bo, Pádua
23-11-2017

Realiza-se em 22 e 23 de novembro, na Sala Archivio Anticuo,no Palácio Bo, em Pádua, com o programa que pode ver em baixo.
O Colóquio é promovido pela Universidade de Pádua, com o apoio do Instituto Camões, e tem como Comissão Científica os professores Sandra Bagno, Teresa Cravinho, Mário César Lugarinho, Jorge Augusto Maximiano, Paula Morão e Elsa Rita dos Santos. Estarão presentes o Magnífico Reitor da Universidade de Pádua, o Embaixador de Portugal em Itália e o Presidente do Instituto Camões. Ler mais