"Precisamos de um barco. Um barco para chegar / a Ítaca dentro de nós: tão em si mesma perdida"
Manuel Alegre
InícioManuel AlegreNotíciasAgendaOpiniãoPresidenciais 2011LinksPesquisa
YouTube Twitter FaceBook Flickr RSS Feeds
Na RTP 1, RTP Internacional e RTP Internacional América
19-11-2021

A RTP vai exibir o concerto Um Só Dia - Espetáculo de Homenagem a Manuel Alegre, gravado ao vivo no dia 5 de outubro no Teatro Municipal S. Luís, em Lisboa. O concerto é emitido nos vários canais da RTP nos seguintes dias e horas:
- 19 Nov 2021 - 23:26 - RTP1
- 20 Nov 2021 - 05:01 - RTP Internacional América
- 21 Nov 2021 - 17:45 - RTP Internacional
Veja mais sobre este concerto AQUI Ler mais

*
Manuel Alegre em entrevista ao jornal i
Entrevista de Teresa Carvalho
15-11-2021 jornal i edição on-line

Foi em 1971 que Manuel Alegre publicou, em Portugal, “Um Barco para Ítaca”, escrito durante o exílio argelino. Era então um Ulisses a contragosto, sem arco e sem Penélope. 50 anos depois, este poema dramático conhece a primeira edição autónoma na Dom Quixote. O tempo não o matou, antes lhe deu, em muitos lances, uma terrível actualidade. Ler mais

Em entrevista ao Museu do Fado
20-10-2021 youtube
Manuel Alegre em entrevista à TSF e JN:
07-11-2021 TSF/JN

"Ele tem a tentação do sul, mas é sobre o norte a última novela que publicou. Foi deputado ao longo de 34 anos mas a sua sensibilidade política foi apurada muito antes, ainda nos tempos de estudante. A poesia cruzou-se sempre com o ativismo e com uma voz inteira, socialista, mas crítica quanto baste. Afastado do xadrez parlamentar, não se afasta da leitura dos dias e dos interesses do país" - assim foi apresentado Manuel Alegre, em entrevista de Domingos de Andrade e Inês Cardoso.
Leia em baixo a versão publicada no JN ou oiça a entrevista completa na TSF Ler mais

*
5 de outubro no Teatro Municipal S. Luís
Homenagem a Manuel Alegre
28-09-2021

Pela ocasião dos 85 anos de Manuel Alegre, á homenageada a poesia de um dos poetas portugueses mais cantados de sempre. “Um Só Dia” junta grandes nomes da música neste concerto singular que relembra, em novos arranjos, canções célebres como Meu Amor é Marinheiro ou Uma Flor de Verde Pinho, e revela temas inéditos de Joana Alegre musicados a partir da poesia do pai. Com a participação de Jorge Palma, Cristina Branco, Ana Bacalhau, Agir, Camané e um contributo especial de Maria Bethânia, uma celebração de hoje e para o futuro, na música por dentro da língua-mãe. A Direcção Artística é de André Santos e a Curadoria de Joana Alegre.

Veja o poema que dá título ao concerto AQUI Ler mais

Fotograma de video publicado no facebook pelo Notícias de Coimbra
30-06-2021 Tomás Barros e Marília Lemos, A Cabra

Foi ao som da Secção de Fado da Associação Académica de Coimbra (SF/AAC) que teve início a cerimónia de entrega do Prémio Literário Manuel Alegre no Teatro Paulo Quintela, na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra (FLUC). A obra vencedora, “Casa Transparente”, de Ana Rita Rodrigues, arrecadou o prémio de dois mil euros. O evento contou com a presença da personalidade que dá nome ao concurso, Manuel Alegre, mas também com parte do júri que avaliou as obras submetidas. Ler mais

*
Manuel Alegre ao Público:
27-10-2021 Margarida Gomes (texto), Daniel Rocha (foto), Público (excerto), título nosso

O histórico dirigente socialista Manuel Alegre alerta para o “prejuízo” que os portugueses vão sofrer se o OE não passar e diz que “há que ter noção de que não se fazem revoluções ideológicas, políticas ou sociais pela via orçamental”. Ler mais

*
Manuel Alegre ao JN
Entrevista conduzida por Sérgio Almeida
09-12-2020 Entrevista conduzida por Sérgio Almeida, JN

São menos de 40 páginas, mas nelas cabe (quase) tudo. Fulgurante revisão de vida, "Quando" - novo livro de poesia de Manuel Alegre - entrelaça o destino de uma geração com a inquietude de um presente marcado pela "sombra que cresce em toda a parte". Ler mais

Foto de António Pedro Ferreira
Manuel Alegre ao Expresso:
13-11-2020 Entrevista conduzida por José Mário Silva, Expresso

Contra o apagamento da memória, individual e coletiva, Manuel Alegre escreveu um poema-livro, sintonizado com os impasses do presente. Ao Expresso fala sobre “Quando”, mas também sobre eleições presidenciais — as americanas e as portuguesas. Ler mais

Foto de José Carlos Carvalho
Manuel Alegre ao JL sobre o novo livro "Quando"
Entrevista conduzida por Luís Ricardo Duarte
04-11-2020 JL, nº 1307, de 4 a 17 de novembro de 2020

É uma viagem íntima e um grito de revolta. Quando, o seu novo e “inesperado” livro, um longo poema que chega para a semana às livrarias, tem a marca das lutas que caracterizam o seu percurso. Mas é acima de tudo uma reflexão sobre a vida e o lugar da poesia num mundo globalizado em que “a libertação da palavra poética pode vir a ser uma das últimas formas de resistência”. Um canto em busca de uma nova toada que o JL revela e antecipa, pré-publicando a última secção do poema, “lido" por Paula Morão, e entrevistando o autor, Prémio Camões em 2017, e com numerosas outras distinções, figura histórica da resistência à ditadura, da democracia e do PS, e duas vezes candidato à Presidência da República. Ler mais

*
40 anos depois da 1ª edição
12-10-2021 Leya on-line

Acaba de ser editado, em primeira edição autónoma na Dom Quixote, (4ª edição no total), o poema dramático Um Barco para Ítaca de Manuel Alegre, quatro décadas depois da primeira edição. Foi escrito no exílio, em Argel, e publicado em Portugal, em 1971. Foi levado à cena em 1974 por Norberto Barroca, na Casa da Comédia, e em digressão pelo país. Posteriormente, com Vasco Pereira da Costa, foi representado no Teatro Académico Gil Vicente, em Coimbra. E em muitas instituições escolares ao longo dos anos. Ler mais

*
Novela inédita de Manuel Alegre
12-10-2021 Leya

"Sinto uma necessidade urgente de partir para o Norte. É estranho, tive, desde sempre, a tentação do Sul, uma irremediável saudade de tudo o que fica no Sul, se não mesmo no sul do Sul. Mas hoje acordei com a incontida pulsão de partir para o Norte. Como se tudo dependesse dessa partida, ou viagem, ou busca, seja lá o que for.
E sem ao certo saber porquê nem de quê. Sei que algo de insubstituível está lá. Talvez um pouco de mim. Talvez uma casa há muito abandonada. Talvez alguém. E é o que mais me custa verbalizar, alguém. Mas quem?" Ler mais

04-10-2021 Lusa

A Associação Académica de Coimbra (AAC) atribuiu o estatuto de associado honorário ao poeta Manuel Alegre, pelo seu papel na cultura da academia coimbrã e pelo seu papel na resistência ao Estado Novo. A proposta da Direção-Geral da AAC foi aprovada esta segunda-feira com 231 votos a favor, 22 abstenções e zero votos contra, em assembleia magna convocada para o efeito (os estatutos da Associação assim o determinam), afirmou à agência Lusa o presidente da AAC, João Assunção. Ler mais

28-07-2021 Lusa

O poeta Manuel Alegre é o vencedor do Prémio Nacional de Poesia António Ramos Rosa, depois de o júri ter distinguido por unanimidade o seu livro "Quando", anunciou esta quarta-feira a Câmara de Faro. Ler mais

*
03-11-2020

O livro "As sílabas de Amália", com que Manuel Alegre homenageou Amália Rodrigues, está a ser alvo de segunda edição. Prova de que Amália, como o poeta reconheceu, "foi, excepcional e única, herdeira de um legado e de um dom, o dom de se dizer e nos dizer, Amália e um povo, a uma só voz". Ler mais

Manuel Alegre à Lusa:
25-10-2021 Lusa

O dirigente histórico socialista Manuel Alegre considerou hoje que a rejeição do Orçamento prejudica os portugueses, defendeu que o PS nunca temeu eleições, mas criticou a esquerda que derruba a esquerda no poder, abrindo caminho à direita. Estas posições foram transmitidas à agência Lusa pelo antigo candidato presidencial e membro do Conselho de Estado, depois de questionado sobre a situação de impasse à esquerda para a aprovação da proposta do Governo de Orçamento do Estado para 2022. Ler mais

Manuel Alegre em Olivença:
10-06-2021 https://radioelvas.com/, excerto da notícia e video integral
*
Intervenção de Manuel Alegre na Academia das Ciências
13-10-2020 Manuel Alegre

Quando Amália canta “Erros meus, má fortuna, amor ardente”, não está apenas a interpretar Camões, está a falar de si mesma e de todos nós, de um destino pessoal e colectivo, um país e um povo. Do mesmo modo que ao perguntar-se “com que voz cantarei meu triste fado”, está a restituir à palavra fado o sentido quase mágico que lhe dava Camões. Ler mais

*
Manuel Alegre, poema escrito em 20 de março de 2020
20-03-2020

Lisboa não tem beijos nem abraços
não tem risos nem esplanadas
não tem passos
nem raparigas e rapazes de mãos dadas
tem praças cheias de ninguém
ainda tem sol mas não tem
nem gaivota de Amália nem canoa
sem restaurantes sem bares nem cinemas
ainda é fado ainda é poemas
fechada dentro de si mesma ainda é Lisboa
cidade aberta
ainda é Lisboa de Pessoa alegre e triste
e em cada rua deserta
ainda resiste.

Manuel Alegre Ler mais

Arquivo 2005-2009
Notícias
Em reedição fac-simile
*
16-10-2021

Praça da Canção, de Manuel Alegre, é um dos tesouros da Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra, uma das mais antigas bibliotecas do mundo. Foi publicado em 1965 no Cancioneiro Vértice, uma colecção da famosa revista coimbrã que queria modular a poética realista. Ler mais

Discurso Indirecto
Miguel Real sobre Tentação do Norte, de Manuel Alegre
*
17-11-2021

Manuel Alegre (MA) publicou recentemente Tentação do Norte, uma novela, na qual faz uma espantosa combinação entre o passado e o presente, entre a história e a ficção ou o modo como se interpreta o passado, evidenciando os “imprecisos limites” (Teresa Cerdeira da Silva) entre ambos. Ler mais

Manuel Alberto Valente no Expresso:
Manuel Alegre (ao centro) com os membros do CITAC (Gare de Austerlitz, 1964). À direita, é reconhecível Adriano Correia de Oliveira
16-10-2021

Lido hoje, à distância de 50 anos, percebe-se a grandeza desse poema coral.
Reeditado agora pela primeira vez em edição autónoma, com uma capa que reproduz um tapete que Mafalda, sua mulher, bordou nos tempos do exílio, “Um Barco para Ítaca” levou-me de volta a uma juventude em que o sonho ainda comandava a vida. Ler mais

Mário Beja Santos sobre "Um Barco para Ítaca"
*
14-10-2021

"Um precioso manifesto lírico, premonitório do que se irá passar um dia em Ítaca, poucos anos depois, mas vaticinado em Argel e anunciado desta forma críptica em Portugal, em 1971, há meio século. O que tão ardorosamente é ansiado neste Barco para Ítaca aconteceu. O que confirma que há versos sublimes como trombetas que anunciam o bafo do futuro." Ler mais

Paula Morão sobre 'Quando' de Manuel Alegre
*
04-11-2020

Quando, datado de Setembro de 2020, é um poema longo estruturado em secções de extensão variável, mas unidas pelo predomínio do verso decassílabo, e trata do tempo: o de aqui e agora, mas também o de uma retrospecção ordenada cronologicamente, dando ênfase à memória como eixo de tudo e constituindo a espessura do poeta em tempos incertos. Ler mais