"Na televisão, os comentadores de futebol substituíram grandes figuras da literatura portuguesa"
Manuel Alegre
InícioManuel AlegreNotíciasAgendaOpiniãoPresidenciais 2011LinksPesquisa
YouTube Twitter FaceBook Flickr RSS Feeds
*
11-11-2019

No dia 11 de setembro de 2009, o corpo de Jorge de Sena foi trasladado para o cemitério dos Prazeres, numa cerimónia que Manuel Alegre criticou como "quase clandestina". No antigo site do ex-deputado, Manuel Alegre defendeu que o seu lugar era no Panteão Nacional. «Daqui a muitos anos terá sido esquecido o que entre nós nesse dia se passou. Mas saber-se-á com certeza que o dia 11 de Setembro de 2009 foi o dia em que ficou finalmente sepultado em Portugal o poeta Jorge de Sena», escreveu. Ler mais

Reportagem da SIC Notícias
23-10-2019 SIC Notícias, 22:04

A cidade de Penafiel está por estes dias em processo de contaminação literária. Desta vez, pela primeira vez, o autor homenageado é poeta, o poeta da Liberdade, mas não só.
Veja a reportagem da SIC Notícias AQUI Ler mais

*
19-10-2019

A cidade de Penafiel vai transformar-se na cidade de Manuel Alegre de 21 a 27 de outubro, com especial incidência entre 23 e 27. Poeta da liberdade, da resistência, mas também clássico, Manuel Alegre é o homenageado este ano do festival literário Escritaria, em Penafiel.
Vários atores vão interpretar em vários cantos e recantos da cidade textos de Manuel Alegre, ao mesmo tempo que as fachadas dos edifícios e muitos outros locais da cidade vão exibir a sua obra e torna-la até “portátil” em caixas de leitura, sign floors, e muitos outros objectos, que com textos de Alegre podem ser levados para casa e partilhados com família e amigos. O Poeta irá ainda, tal como sucedeu com todo os autores anteriormente homenageados, deixar uma frase que marcará a cidade, fazendo também com que Penafiel continue a ser, cada vez mais, uma cidade “contaminada” pela literatura. Ler mais

06-10-2019

Vinte anos depois da sua morte, oiçamos de novo Amália, de quem Manuel Alegre escreveu: "Ela era uma espécie de senha e contra-senha da nossa identidade."
Ler mais

Manuel Alegre em Penafiel:
24-10-2019 TVI 24

"Antigamente (na televisão) tínhamos o Vitorino Nemésio, a Natália Correia, o David Mourão-Ferreira e eu próprio fui muitas vezes à televisão falar de poesia e literatura. Hoje ouvimos programas intermináveis sobre futebol falado. Eu adoro futebol, mas não gosto muito do futebol falado. Os comentadores de futebol substituíram algumas das grandes figuras da literatura portuguesa" - afirmou Manuel Alegre na conferência de imprensa de abertura da edição de 2019 do Escritaria, evento que o vai homenagear até domingo, com várias iniciativas sobre a sua vida e obra. Ler mais

"Há na minha língua uma página chamada Atlântico, onde há sempre uma viagem que não acaba até outros mares e outros poemas"
Momento alto da crise académica de 1969
06-07-2019

Foi ontem inaugurado à entrada do Jamor, no Palco da Liberdade, um pequeno memorial que recorda os 50 anos passados sobre a final da Taça de Portugal, entre o Benfica e a Académica, que se transformou numa enorme manifestação contra o regime e um dos momentos mais marcantes da Crise Académica de 1969. Manuel Alegre estava então no exílio, em Argel, mas acompanhou os acontecimentos pela radio. A placa que recorda esse momento histórico tem inscrita uma quadra da Trova do Vento que Passa, poema de Manuel Alegre que muitos portugueses sabem de cor e que será sempre um hino à resistência: “Mesmo na noite mais triste / Em tempo de servidão / Há sempre alguém que resiste / Há sempre alguém que diz não.” Ler mais

*
Manuel Alegre sobre o gesto de Alberto Martins em 1969:
21-05-2019

“Pedir a palavra num país amordaçado é em si mesmo um acto de libertação” disse Manuel Alegre ontem na apresentação do livro Peço a Palavra, de Alberto Martins, que no dia 17 de Abril de 1969, ao pedir a palavra em nome dos estudantes de Coimbra em cerimónia presidida por Américo Tomás desencadeou a grande crise académica de 1969. “E não foi preciso dizer mais nada. O tabu tinha sido quebrado. E já não era só um a pedir a palavra. Eram milhares", salientou Manuel Alegre, frisando que “foi uma viragem histórica no movimento estudantil e na própria luta do povo português pela liberdade.” Ler mais

 "Há na minha língua uma página chamada Atlântico, onde há sempre uma viagem que não acaba até outros mares e outros poemas"
24-10-2019 Imediato

“Estamos todos em dívida para com esta iniciativa de Penafiel. Hoje eu, mas todos os escritores portugueses”, declarou Manuel Alegre em Penafiel no Escritaria, festival literário que o vai honenagear até domingo. Ler mais

19-10-2019

No dia 26 de outubro, no âmbito da iniciativa Escritarias 2019,em Penafiel, que este ano é dedicada a homenagear a vida e obra de Manuel Alegre, vai ser lançado o novo livro do autor, Os Sonetos. A apresentação será do Professor Dooutor José Gomes Ferreira e terá lugar às 17.00, no museu municipal daquela cidade. Ler mais

*
Crónica de Fernando Alves sobre Manuel Alegre e a Escritaria
25-10-2019 Fernando Alves, TSF, "Sinais"

Alegre vai apresentar amanhã o livro que reúne todos os sonetos da sua obra, desde o "Soneto de Amor da Hora Triste" (publicado em 1965, na Praça da Canção) à "Homenagem a Pablo Neruda", o soneto que leu em Isla Negra, junto ao túmulo do poeta, durante a viagem do presidente Mário Soares, no início da década de 90. Se o fio da conversa nos levar por aí, tratarei de saber ao lado de qual dos seus poetas amados gostaria ele de se sentar, vendo-o escrever um soneto. Ler mais

*
Afonso Guerra e Manuel Alegre na Feira do Livro de Sevilha:
29-05-2019 ABC de Sevilha (tradução nossa)

Há 45 anos, um 25 de abril mudou a história de Portugal. Um dos protagonistas desse episódio, o poeta e dirigente socialista Manuel Alegre, interveio ontem, bem como o ex-vice presidente do governo (de Espanha), Alfonso Guerra, numa jornada intitulada “45 anos do 25 de abril. Portugal e Espanha”, no âmbito das iniciativas portuguesas na Feira do Livro de Sevilha. Ler mais

*
Manuel Alegre em entrevista ao DN:
20-04-2019

A destruição de parte da catedral emocionou o poeta e fê-lo recordar os momentos em que a olhava no exílio e depois numa visita com Soares e Mitterrand. Considera que é "a metáfora de uma certa desatenção" para com o património e um aviso para o descuido com a cultura e espera que Portugal perceba esse aviso. Para o poeta existe outro apelo imediato, o que resulta da literatura: "Quem é que não se apaixonou pelo romance de Victor Hugo, Notre-Dame de Paris, pela Esmeralda e acompanhou o corcunda? A catedral parisiense faz parte do nosso imaginário", "contém uma enorme história" e "é um símbolo da França e da Europa, católico e ao mesmo tempo laico, pois pertence a todos."
Veja a entrevista na íntegra AQUI Ler mais

*
Manuel Alegre, na entrega do Prémio Vida e Obra da SPA
28-03-2019

Manuel Alegre agradeceu o Prémio Vida e Obra atribuído pela Sociedade Portuguesa de Autores e entregue na Gala realizada no Centro Cultural de Belém no dia 27 de março, lembrando que "vida e escrita são inseparáveis." E recordando Sophia, disse que "a cultura não é para enfeitar, é para transformar." Ler mais

Manuel Alegre e Paula Morão
Manuel Alegre, hoje doutorado Honoris Causa pela Universidade de Lisboa:
02-10-2018 com Lusa

“Espero continuar a rimar o meu poema com a minha vida”, confessou Manuel Alegre no final da intervenção, longamente aplaudida de pé, com que agradeceu o doutoramento Honoris Causa hoje atribuído pela Universidade de Lisboa. O autor de “O Canto e as Armas” passou em revista o seu percurso académico, literário e cívico, perante uma assistência presidida pelo Presidente da República e onde se encontravam destacadas figuras do meio académico e da política.
Veja a intervenção integral de Manuel Alegre AQUI Ler mais

Manuel Alegre em Coimbra:
01-10-2019 com Lusa

“Não há estabilidade sem um PS forte; não há diálogo nem convergência sem um PS forte; não há solução governativa sem o PS e muito menos contra o PS" disse Manuel Alegre no Comício de Coimbra, ontem à noite, no Pavilhão dos Olivais, num discurso muito aplaudido, que levantou a assistência em alguns momentos. Ler mais

Foto de Carlos Martins
Manuel Alegre em Caxias 45 anos depois:
26-04-2019 com Lusa

“Foi com a libertação dos presos políticos que se concretizou verdadeiramente o 25 de Abril" afirmou Manuel Alegre ontem, à porta da cadeia de Caxias, numa cerimónia promovida pela Câmara Municipal de Oeiras para celebrar os 45 anos da libertação dos presos políticos. "Só a partir desse momento é que o 25 de Abril passou a ser o dia da liberdade para todos os portugueses", defendeu, lembrando os nomes dos libertadores, Capitão Mário Pinto e Comandante José Júlio Abrantes Serra. Na placa comemorativa descerrada, lêem-se versos de Manuel Alegre cantados por Amália Rodrigues e por Maria Bethânia: “Hei-de passar nas cidades / como o vento nas areias/ e abrir todas as janelas / e abrir todas as cadeias.” Ler mais

Arquivo 2005-2009
Notícias
Dia 15 de novembro em Águeda
*
12-11-2019

Na próxima sexta-feira, 250 alunos do 12.º ano da Escola Secundária Marques de Castilho vão receber das mãos de Manuel Alegre um exemplar do romance Alma e, no dia seguinte, na Biblioteca que tem o seu nome, haverá uma apresentação de Os Sonetos, uma antologia que reúne alguns dos sonetos do poeta aguedense.
Acontece tudo isto, em Águeda, a propósito das comemorações do 10.º Aniversário da Biblioteca Municipal Manuel Alegre. Ler mais

*
12-10-2019

Já está nas livrarias o novo livro de Manuel Alegre, Os Sonetos, que reúne sonetos do autor ao longo da sua obra. Como escreveu Maria Helena Rocha Pereira sobre o livro do autor Sonetos do Obscuro Quê, a "melodia própria" desta forma literária "exige um domínio da forma e dos sons que poucos possuem: e bem assim a concentração num conceito final, que surge como uma conclusão natural, ou então como uma farpa aguda, a apontar noutra direcção. Ora todas estas capacidades estavam presente há muito na arte deste poeta." Ler mais

Notícias
Manuel Alegre citado por Cebrián no El País
*
07-08-2019

Em artigo publicado esta semana no El País, Juan Luis Cebrián, jornalista, presidente honorário daquele jornal e uma das dez personalidades mais prestigiadas em Espanha e na América Latina durante décadas, citou Manuel Alegre, a quem trata de “exímio poeta”, referindo-se ao seu último discurso na Assembleia, incluído no livro “Uma outra memória”, em que o socialista português afirmou que ser deputado é “a mais bela função do mundo ”.
Veja o artigo de Cebrián AQUI
Veja um excerto do artigo em tradução nossa AQUI Ler mais

Discurso Directo
Manuel Alegre em artigo no Público:
23-09-2019

Ao afirmar que a disputa nestas eleições é entre a esquerda e o PS, Catarina Martins volta metaforicamente ao Verão de 1975, de que parece ter saudades mesmo sem o ter vivido. Ler mais